sábado, 28 de setembro de 2013

"QUEREMOS NOSSA CARGA HORÁRIA" DESABAFA UM MILITAR.

Carga horária, para os militares estaduais, será ruim para quem? Se a carga horária fosse algo ruim para uma categoria, será que somente nós militares seríamos agraciados com a falta dela? A carga horária é uma ferramenta gigantesca para a quebra de vários abusos ocorridos nos nossos quartéis. Qual militar operacional trabalhou menos de 48h semanais no mês de setembro?Agora o Governo Estadual quer, através de uma escala massacrante e de uma “carga horária” inventada e ilegal, insinuar na tropa o repúdio à luta pela aprovação de uma carga horária legal pela assembleia legislativa. O problema é que parece que o Dep. Capitão Samuel comprou a ideia do Estado. Afirma que avisou, e realmente avisou em algumas assembleias, que a carga horária aplicada às escalas poderia trazer prejuízos. Poderá existir prejuízo somente se houver a intenção do gestor de prejudicar a tropa e consequentemente a sociedade. Observe o que acontece na PRF: (...)“Em vista de exposto percebe-se que a escala 24x72 é uma necessidade diante da peculiar realidade a que estamos submetidos, qualquer outra alternativa causaria danos irreparáveis ao dia a dia do policial, o afastando ainda mais de sua família, lazer, atividades esportivas, sindicais, bem como o convívio social como um todo. Exigir que um servidor passe horas dentro de um ônibus, jamais folgue aos finais de semana,trabalhe dobrado nos feriados e não tire férias junto com sua família, beira ao desrespeito e com certeza compromete a produtividade do policial. Além das considerações já expostas, devemos evitar uma alteração na escala de serviço, pois este tema causa grande apreensão e mobilização da maioria dos policiais, sendo que está chegando o momento de buscarmos uma negociação para reposição salarial e não seria nada inteligente, pelo menos de nossa parte, desviar o foco daquilo que realmente é importante, ou seja, não devemos deixar que mudem a escala, para que não tenhamos que brigar por outra coisa em um momento tão importante. Muito tem se dito que a vontade de alterar a escala não parte da direção da PRF e sim do governo federal, se isso realmente for verdade, cabe a nós e nossos sindicatos demonstrarem as peculiaridades já apontadas, para que tal mudança não atinja nossa instituição. Embora colegas de outras corporações afirmem que não deverá haver mudanças que os prejudiquem e que sabem que a administração da PRF é ele tome uma atitude quanto a escala. Apesar de tudo isto, a única regulamentação do governo federal sobre o tema está contida na portaria interministerial SEDH/MJ nº 2, publicada no Diário Oficial da União de 16/12/2010, sendo que a referida portaria trata dos direitos humanos do policial e dispõe em eu texto que é: ‘assegurada a regulamentação da jornada de trabalho dos profissionais de segurança pública, garantindo o exercício do direito à convivência familiar e comunitária’. (...) http://www.sindprfce.com.br/arquivos/PRF_Trabalho.pdf   Será que a Polícia Rodoviária Federal está arrependida de ter os direitos trabalhistas assegurados? Será que a Polícia Rodoviária Federal está sendo prejudicada com a carga horária?Tentar prejudicar os profissionais para que eles recuem nas suas reivindicações não é criação sergipana. Mas nós temos exemplos vitoriosos a seguir. E temos que ter foco nesses exemplos para não seguirmos caminhos traçados por intenções obscuras. 

Fonte:  Faxaju

4 comentários:

  1. Sua carga horária é todo dia seu papa alfa lima november oscar charlie uisque

    ResponderExcluir
  2. E Viva os efeitos do Taj Mahal !28 de setembro de 2013 20:25

    Uma vergonha , uma vergonha tão somente perpetuada pelo sentimento escravagista de quem exerce o poder temporal e não culpo só o PT de Sergipe, mas principalmente ele que nos soprou a brisa da esperança. Quem mais entende e lutou por direitos sindicais e trabalhistas nos últimos 40 anos ? Qual partido reascendeu o ideal socialista no Brasil ainda em período ditatorial ? Quem ecoou liberdade, igualde e fraternidade no meio do proletariado operário nos idos de 1979 ? Aqui em Sergipe que foi o político que mais apoiou greve e direito dos servidores públicos ? Mas, agora esquecem e rasgam sua história e de na cara mais lavada passam de abolicionistas a senhores de engenhos sedentos em levar a dignidade de policiais militares ao tronco .Tudo isto com anuência do Ministério Público e Poder Judiciário de Sergipe , lamentável !
    Ainda vem um pau mandado do governo e posta uma ofensa gratuita acima.
    Que os bons ventos soprem em nossa direção e quem sabe uma alma iluminada na forma de uma canetada acabe a nível nacional com esta exploração trabalhista contra Militares Estaduais injustificável !

    Ah, já ia me esquecendo que Jackson criou uma comissão para promover controle dos gastos públicos, pois os recursos estão escassos.
    Mas, alguém acha que isto atingirá que rios de dinheiro público sejam jogados no Pré Caju 2014 ?
    E viva o Ministério Público de Sergipe com seu imponente Taj Mahal !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No penúltimo parágrafo onde se lê : atingirá , leia-se IMPEDIRÁ.

      Excluir